“Eu só tenho uma poupança com 15 mil”, por Henrique Cruz

Henrique Cruz

Esses dias tenho pensado sobre a minha vida, 42 anos, casado, com filhos de 16 e 11 anos.

Como planejador financeiro pessoal, pensar nos pagamentos das contas mensais de uma família com 4 pessoas, construir uma poupança para eventuais emergências, pensar na formação universitária dos filhos, vivenciar um pouco de lazer com a família e fazer uma reserva para aposentadoria é realmente algo muito desafiador.

Matematicamente, ter 15 mil reais para tudo isso é uma quantia pequena dentre tantos pagamentos importantes, quem sabe indicando um diagnóstico financeiro perigoso.

Mas acreditem, enxergar que tenho apenas 15 mil foi algo fundamental para minha vida. Vamos lá, eu explico.

O que calculei esses dias foi minha “poupança de tempo”.

Considerando as estatísticas atuais de expectativa de vida no Brasil eu tenho, provavelmente, mais 40 anos de vida. Assim, uma conta simples mostra que tenho uma poupança de 15 mil dias.

Você já pensou em qual é a sua poupança de tempo?

Será que ter uma expectativa do fim dessa aventura terrestre ajuda alguma coisa?

Será que não gera ainda mais angústia, ansiedade e confusão?

Tem um filme muito legal chamado “O preço do amanhã”. Lançado em 2011, é uma ficção onde, em futuro próximo, o envelhecimento passa a ser controlado para evitar a superpopulação da terra. Nesse filme, cada ser humano tem um cronômetro regressivo em seu braço que mostra quanto tempo de vida cada pessoa ainda tem. O tempo substitui o dinheiro e passa a ser a principal moeda de troca para sobrevivência. É uma reflexão interessante, vale a pena assistir.

Calcular nossa poupança de tempo e enfrentar as possíveis reflexões dessa conta, não é algo simples. Principalmente na cultura capitalista ocidental que estamos inseridos. Podemos ser levados pelos sentimentos de angústia e ansiedade ao enxergarmos o tempo que ainda temos e o que temos feito com nossas vidas. Porém, eu acredito que ter uma perspectiva de futuro, começar enxergar um pouco além dos próximos dias ou meses pode nos ajuda a re significar muitas prioridades em nosso dia a dia.

Entender nossa poupança de tempo é algo muito importante. Não na direção de aproveitar ao máximo o agora, como uma busca descontrolada e consumista de todos os prazeres da vida, mas de entender a maneira como temos equilibrado a nossa balança entre tempo e dinheiro. Quando você olha para a sua agenda, qual a prioridade que você observa no uso de seu tempo ?

Um texto cristão aborda esse tema, onde o autor entende essa necessidade e pede a Deus que o ensine a contar os seus dias, para que alcance coração sábio. Quando nos aventuramos a olhar para esse futuro, em entender o tempo que ainda temos pela frente, sonhar com o que queremos construir nessa caminhada e deixar de legado para nossos filhos e comunidade, começamos a ter clareza de um projeto de vida. E é com ele que ganhamos a sabedoria para tomar decisões intencionais no dia a dia, na utilização intencional de nossos recursos (tempo e dinheiro).

Como está sua poupança ? E a sua balança ? Você tem usado essa perspectiva futura para tomar suas decisões de hoje?

Recomendo que você pense nisso.

Recomendo também que você tenha ao seu lado pessoas que realmente se importam com sua vida e que te ajudem a construir esses caminhos rumo a sua melhor versão. 

Henrique Cruz tem MBA em Marketing pela ESPM, é especialista em Finanças pela Unicamp e caminha à 5 anos com a Life Finanças Pessoais ajudando no cuidado das mais de 3.300 famílias atendidas pela empresa.  https://www.lifefp.com.br/henrique-cruz

Artigo publicado no site Lifefp: Eu só tenho uma poupança com 15 mil.

Deixe uma resposta